A BOL usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de cookies. SaberMais/ Fechar
Distrito Sala
Detalhe Evento
PROMETEU Abandonado

PROMETEU Abandonado

Teatro & Arte | Teatro

Casa das Artes Famalicão

Grande Auditório
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2017
jul
28
a
2017
jul
29

Próxima Sessão

28 jul 2017 21:30
Dias
Hrs
Min
Seg

Duração

80 minutos

Abertura Portas

21:15

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Município de Vila Nova de Famalicão

Informações Adicionais

PROMETEU Abandonado
Teatro
28 e 29 de julho, sexta-feira e sábado, 21:30
Grande Auditório
Entrada: 6 euros / Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 3 euros
M/6 anos
Duração: 80 minutos

Exercício da Classe B do Atelier Baú dos Segredos de 2016/2017

"A destruição do poder é injusta, a destruição do poder corrupto merece justiça."

Desobedecendo ao Deus dos Deuses, Zeus, um mero titã com o poder da providência desafia os poderes celestiais que na última instância o levam ao seu fim.
Prometeu Agrilhoado, uma peça de Ésquilo, retrata o castigo deste titã, Prometeu. Prometeu recebe esta reprimenda por se revoltar contra as ordens de Zeus, dando a oferenda do fogo ao Homem. Por sua vez, Zeus ordena os titãs, Poder e Violência, a aprisionarem Prometeu a uma rocha para toda a eternidade. Pelo ponto de vista de Prometeu, pelo coro das Oceanides e pelo Poder, Ésquilo claramente desenvolve o tema do castigo pela corrupção do poder.
Primeiro de tudo, para perceber o castigo ilícito que sofre Prometeu, o ponto de vista mais substancial vem dos seus próprios olhos. De facto, Prometeu protesta a injustiça da sua posição quando declara, Os benefícios que fiz aos mortais atraíram-me este rigor. Aparentemente, Prometeu recebe punição pelo altruísmo para com o Homem em vez de gratidão. Desobedecendo a Zeus, Prometeu arrisca o seu bem-estar para ajudar a humanidade. Invadido por sentimentos de injustiça, Prometeu transmite o flagelo que é a sua miséria na esperança de encontrar partidários. Desse modo, Prometeu explica, E que hediondas cadeias invisíveis o novo senhor dos imortais mandou forjar para mim. Apesar de não poder alterar o seu destino, Prometeu detalha o seu dilema para os que se apiedam dele. No entanto, Prometeu continua com Pena não me foi atribuída e portanto permaneço torturado, para Zeus um espetáculo de vergonha. Sofrendo pelas suas ações, Prometeu rejeita toda e qualquer ajuda. Para Prometeu, o castigo reflete a injustiça do poder de Zeus. Prometeu existe como um exemplo para todos os que se atreverem a desobedecer aos Deuses

Texto: Tiago Regueiras inspirado na obra de Ésquilo
Tradução e adaptação: Tiago Regueiras
Elenco: Alunos da Classe B do Atelier Baú dos Segredos
Encenação, cenografia e desenho de luz: Tiago Regueiras e Ana J. Regueiras
Figurinos e caraterização: Cármen Regueiras e Emília Silva
Assistência de encenação: João Regueiras
Luz e som: Equipa Técnica da Casa das Artes de V.N. de Famalicão
Produção: João Regueiras e Casa das Artes de V.N. de Famalicão

Preços

  • Plateia - 6€

Descontos

  • Estudantes
  • Quadrilátero

Partilhar
Quadrilátero