Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
B FACHADA

B FACHADA

Música & Festivais | Concerto

Casa das Artes Famalicão

Café Concerto
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
jan
26
Realizado

Duração

70 minutos

Abertura Portas

23:00

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Município de Vila Nova de Famalicão

Breve Introdução

B FACHADA
Música
26 de janeiro, sábado, 23:30
Café Concerto
Entrada: 3 euros / Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 1,5 euros
M/6 anos
Duração: 70 minutos

"Fachada está interessado em questionar convenções no seu próprio tom, no seu próprio tempo, nos seus próprios termos"

Escreve canções que dão mostras de ser recebidas como ciência social, mas o inverso também é verdadeiro. Tem muitos descendentes, mas é mais que a soma dos por si influenciados. Na música popular portuguesa do século XXI não há outra figura como B Fachada, o nome artístico de Bernardo Fachada, compositor, multi-instrumentista, produtor. Nascido em 1984, estudou música no Instituto Gregoriano de Lisboa e aprendeu piano. Mais tarde, frequentou a escola do Hot Clube de Portugal e, na Universidade, cursou Estudos Portugueses. Desde 2007 tem-se notabilizado por um espantoso, e até certo ponto impiedoso, ritmo de edições, através do qual frequentemente subverte o cânone e converte os dogmáticos, baralha as expetativas e expetora a maralha, coça rótulos, caça ruturas. Entre formatos físico e digital, lançou cinco EP (destacando-se o remoto Viola Braguesa, uma reflexão sobre o conceito da tradição e suas traições, ou o split com as Pega Monstro, de 2015, em reflexo da amizade e acuidade estética), três mini álbuns charneira (Há Festa na Moradia, que teve edição física em vinil, Deus, Pátria e Família, que aparentou parar o país, e O Fim, com que anunciou uma pausa sabática) e seis registos de longa-duração (da discussão das questões de moral associadas ao universo infanto-juvenil de B Fachada é Pra Meninos e do manifesto de pop batumada que foi Criôlo até ao homónimo de 2014, criado com recurso a samples burilados, programações barrocas, batidas apátridas). O seu impacto conjunto testa os limites daquilo que, neste domínio, se entende por produção cultural.

-
Partilhar
Quadrilátero