Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
VENENO

VENENO

Teatro & Arte | Teatro

Casa das Artes Famalicão

Grande Auditório
Classificação Etária
Maiores de 16 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2018
out
26
a
2018
out
27
Realizado

Duração

60 minutos

Abertura Portas

21:15

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Município de Vila Nova de Famalicão

Breve Introdução

VENENO
Teatro
26 e 27 de outubro, sexta-feira e sábado, 21:30
Grande Auditório
Entrada: 8 euros / Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 4 euros
M/16 anos
Duração: 60 minutos

ESTREIA

Texto de Cláudia Lucas Chéu com direção e interpretação de Albano Jerónimo.
Produção Teatronacional21 numa co-produção com Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar.
Conversa de artistas aberta ao público após o espetáculo.

O amor é mais frio que o capital. René Pollesch

Sinopse

Veneno foi escrito a partir de narrativas factuais verídicas, recolhidas num universo cosmopolita contemporâneo. 51% da população mundial encontra-se, neste momento, a viver em espaços urbanos por razões económicas, melhoria das condições de vida, oferta de trabalho, entre outras.
Veneno é, também, um texto centrado na ideia da decadência da família no contexto suburbano. Se a família é o paradigma ancestral daquilo que deve ser um governo, ambos manifestam, atualmente, a ideia de crise. Crise esta que, na génese etimológica, significa separar, dividir.
A narrativa foca-se nas circunstâncias, e consequências trágicas, de um pai recentemente desempregado e falido que decide sequestrar os três filhos depois de assassinar a mulher e o seu amante. O pai e os filhos convivem, então, num espaço exíguo e em condições precárias. Todo o discurso do pai é construído em torno da incapacidade de aceitação do real, tornando o seu discurso num delírio verosímil sobre a sociedade, a família,

Informações Adicionais

O percurso do texto
Veneno foi escrito em 2015 e publicado num volume com peças de vários autores Curtas da Nova Dramaturgia, Memória, Edições Guilhotina, 2016. Ainda em 2016, foi um dos textos selecionado, em representação do Comité Português, para o EURODRAM Rede Europeia de Tradução Teatral. Encontra-se traduzido em inglês e francês.


Ficha Artística
Texto - Cláudia Lucas Chéu
Apoio à Dramaturgia - Mickael de Oliveira
Direção - Albano Jerónimo
Interpretação - Albano Jerónimo e Luís Puto
Participação Especial - Leonor Devlin
Conceção Plástica - António MV
Desenho de Luz - Rui Monteiro
Direção de Produção - Francisco Leone
Produção Executiva - Luís Puto

Partilhar
Quadrilátero